sábado, 14 de junho de 2014

La felicidad

Analisando um pouco, a felicidade não reside nisso em que é vendido a todo o tempo. Ou seja, vende-se uma forma padronizada de felicidade. E quanto aos que não se encaixam nesses padrões?
Em minha curta experiência de vida, noto que cada um pode ser feliz de acordo com a sua singularidade, e não necessariamente atingindo alguns objetivos pré-determinados pela sociedade. Isto é, ser feliz não significa realizar o que todos esperam que você realize. Ser feliz nada mais é do que estar feliz, seja onde e como for.
A felicidade é o maior bem da vida. Logo, temos de busca-la sempre. E se porventura a alcançarmos, devemos mantê-la. Ou se a perdermos, devemos recupera-la.
É preciso que se entenda que não existe um modelo perfeito de felicidade. Eu por exemplo, sou feliz assim: ajudando as pessoas de alguma forma. Enquanto que outras pessoas podem ser inteiramente felizes, e não estar nem aí pra isso.
Em suma, nesta vida ninguém é feliz o tempo todo. Assim como não devemos confundir a felicidade intrinsecamente simples com a felicidade mundanamente padronizada.

Um comentário:

  1. Olá, Anselmo.
    Boa reflexão; acredito que, no mundo informatizado de hoje, onde muitas pessoas tentam ser felizes a qualquer custo (ou pelo menos demonstrarem estar sendo felizes), é muito mais fácil para elas adotarem um sistema/receita falso para a felicidade, o que está fadado ao fracasso.
    Felicidade é algo inerente a cada indivíduo, e não pode ser resumido em uma fórmula pronta, da mesma forma como não se pode ser feliz o tempo inteiro.
    Abraço, Anselmo.

    ResponderExcluir