quarta-feira, 5 de fevereiro de 2014

Quando a sua hora chegar

Pois é, e quando a sua hora chegar? Não, eu não estou me referindo à morte. Estou falando de opressão.

Acontece que todos nós temos a nossa oportunidade de oprimir. O chefe oprime o homem; o homem oprime a mulher; a mulher oprime o filho; e o filho oprime o gato.

Quer dizer, é evidente que a cadeia apresentada tem apenas a intenção de ilustrar que cada um de nós em um dado momento podemos ser opressores de alguém, aquele que é mais fraco em relação a nós.

Então, fica a pergunta: o que você faz na sua vez de oprimir?

Acredito que todos nós temos de ser cautelosos com a nossa chance de oprimir. Sobretudo aqueles que lutam contra toda a forma de opressão. Pois a partir do momento que nós oprimimos também, convertemo-nos em falsos moralistas.

Infelizmente, vejo uma porção de pessoas criticando os atuais opressores com toda fúria que lhe é possível exalar pelas ventas. Mas ao mesmo tempo, observando suas atitudes, noto que se essas mesmas pessoas estivessem em seu lugar, ou seja, se elas tivessem a oportunidade delas de oprimir, certamente o fariam com os mesmos requintes. Isto é, se igualariam exatamente ao opressor à qual se queixam duramente.

Não vou negar que esta triste realidade me causa certa desesperança na humanidade, visto que este fato só nos confirma que um ditador sempre acaba sendo substituído por outro.




É muito frustrante ter que confiar no ser humano embora estejamos conscientes de que as suas falhas são intrínsecas.

A realidade é a de que a ditadura sempre existirá. Se a ditadura da minoria privilegiada que temos hoje deixar de existir um dia, ainda restará a ditadura da maioria.

Entretanto, a isso alguém ainda pode dizer: “Ora, mas é melhor a ditadura da maioria do que a da minoria.” Pois é, no entanto a maioria nem sempre está com a razão, de modo que poderá agir tão cruelmente quanto à minoria burguesa que antes nos governava.

Nenhum comentário:

Postar um comentário